Jovem acorda durante o próprio funeral e assusta familiares4 min read

Hoje resolvi comentar sobre algo que, aparentemente é inusitado. Estava eu parcialmente tranquilo e “semiperseguido” pelos espectros da massa informativa, quando me deparei com uma notícia que achei um pouco engraçada. Li o título que como se estivesse investigando o caso antes de ler a matéria. O título diz: Jovem acorda durante o próprio funeral e assusta familiares.

Até aí o pensamento ainda era comum. Pensei o jovem pode ter uma doença rara como já ouvi falar em algum momento, mas aí lendo a matéria vi que não era bem isso. Vamos ao que entendi.

Um menino chamado Kumar Marewad foi mordido por um cachorro qualquer na rua. Seus pais o levaram para o hospital, mas o menino acabou com uma infecção que se espalhou rapidamente pelo corpo. Após algum tempo respirando com a ajuda dos aparelhos a decisão médica foi de informar a família e explicar sobre a tal eutanásia. Não sei se notou, mas o nome do garoto não é comum, isso porque o caso aconteceu na Índia.

A família, após a decisão médica de desligar os aparelhos, decidiu levar o menino de volta para casa, antes de declararem a morte da criança. Segundo a matéria, os médicos informaram que não havia mais nada pra fazer após desligarem os aparelhos e, portanto o garoto iria morrer.

Em seu suposto funeral, Kumar mexeu os olhos e os braços e assustou os seus familiares. Pois bem, tenho alguns pontos para comentar. Se você observar os comentários da matéria saberá que a interpretação da maioria foi de erro médico. Outros disseram que Deus o salvou, outros suplicaram adoração ao Deus cristão. Kumar vai viver, afinal o Deus dos comentaristas irá ajudá-lo como o fez. Para dizermos que foi erro médico, acredito que deveríamos pensar primeiro no ato da família tê-lo retirado do hospital para aguardar o falecimento em casa, e com um pouquinho de falta de conhecimento iriam enterrar o pirralha vivo. Mas digamos que o menino estivesse morto, como alguns comentaristas acreditaram em um milagre, nesse caso teremos que concordar que Kumar é o novo messias.

E se Kumar morrer, qual Deus irá levá-lo para o céu? Sim porque os comentaristas cristãos esqueceram de ler a parte em que explicava a localização do rapaz. A Índia parece não ser muito compatível com cristianismo. Mas deixemos isso de lado, e note os novos comentários:

“Se for para mim medicar com esses médicos daí eu prefiro ficar com os do meu país Brasil mesmo”

Parece que essa comentarista importante é a médica das médicas e é ela quem vai medicar alguém. Mas nós podemos aceitar a cultura indígena normalmente.

“esses medicos sao uns covardes, ordinarios e vagabundos por nao ver os pacientes direito e nao estar nem ai pra vida da humanidade tinha que fazer de tudo primeiro pra depois em último lugar mandar pra casas seus desgraçados vcs poderia matar mais uma pessoa , estou indiguinada pra vcs somos apenas números”

Acusações sem provas e essa pessoa parece estar olhando para o caso sob a sua visão e experiência com os “médicos da virose” do nosso SUS.

“Meu Deus.. isso deve ser rotina..imagina acordar dentro de um caixão.. a vida ja não esta valendo nada.. lixo.. médicos de boteco.”

Essa nossa amiga já deduziu que deve ser rotina. Lógico que é possível (risos). Vários jovens de 17 anos são mordidos por cachorros de rua e levados para o hospital com infecções letais diariamente, e é super comum os familiares levarem os adolescentes quase mortos para casa e prepararem um funeral com ele ainda vivo. Deve ser rotina.

E pra terminar temos um comentário epicamente intelectual, ao que parece essa comentarista, além de comentarista parece ser algo a mais na área da medicina investigativa. Talvez trabalhe para o FBI:

“nossa,como pode, com a tecnologias de hoje nao escutarem seu coração”.

Como pode? Com microfones nos smartphones, com telas sensíveis ao toque, com microscópios quânticos, como pode os médicos não ouvirem o coração do rapaz?

Eu vou responder com outra pergunta: o doutor era surdo?

Se gostou comente e vamos tentar nos divertir com esses profissionais da internet.

Curta e compartilhe!