Sobre o autor - Uma breve autobiografia

Carlos Hallan   -   30, Agosto de 2016

Carlos HallanOlá, eu sou Carlos Hallan, Escritor/redatorWeb, Desenvolvedor de interfaces e Professor. Gostaria de explicar bem facilmente os motivos da existência deste blog, mas acredito que isso não seria interessante para você que chegou nesta página receber como recompensa por esse feito dois parágrafos curtos que não dizem nada por dizerem tudo tão rapidamente. E é com essa confusão que lhe convido a me conhecer por essa autobiografiazinha de um cara qualquer.

Eu nasci em Recife, Pernambuco em uma maternidade, cujo o nome eu deixo de recordação para a minha mãe tendo em vista que o meu desenvolvimento não foi alienígena e eu não me recordo de ler o letreiro da estrutura. Cresci em um ambiente que possuía como renda um único salário mínimo que era mínimo para tudo. Estudei em escolas públicas, e aprendi tudo bem devagarinho. Em alguns momentos a falta de professores em nosso sistema maravilhoso de ensino, era motivo para a alegria dos alunos que estavam preocupados com pipas, novelas e DBZ.

No quarto ano do ensino fundamental, eu tive uma professora excelente. Chamada Olga, desta eu nunca me esqueço. A simplicidade com que ela tratava os problemas, me fez seguir por um caminho mais calmo. Ela também fazia ondinhas bonitinhas abaixo do título “Tarefa de casa”. Gostaria de a agradecer por isso. Recebi ali, na escola, um livro chamado “Pluft, o fantasminha”, a leitura deste livro me deixou impressionado. Era uma peça de teatro e eu conseguia imaginar até a forma como as músicas da peça eram cantadas. Depois segui para “Meus primeiros contos” e um outro de poesias que eu não me interessava muito por não gostar das brincadeiras do tipo “Glu, glu, glu abram alas para o peru”.

Na adolescência, aos 13 anos de idade, comecei a trabalhar na busca por clientes de manutenção de computadores. Com essa mesma idade, minha visão de mundo estava diferente. Comecei a escrever para desabafar, porque as pessoas não me pareciam confiáveis o bastante. Meus textos passaram a ser um mar de angústia, e por conta disso eu os escondia a todo o custo. A minha filosofia, por quase toda a adolescência, era o silêncio, porque “se eu não tinha nada de bom para falar, era melhor ficar calado”. Segui por aí até os 16 anos, quando decidi abandonar essa filosofia e reivindicar ouvintes. Nesse ano fui mais corajoso e comecei a namorar uma menina. Com ela, logo no mesmo ano eu já estava a escrever, desta vez corajosamente.

Com aquele espírito de adulto, casei aos 18 anos com a namorada do ensino médio. Fui morar de aluguel. Aos 18 ainda, me tornei pai. Trabalhei como auxiliar de serviços gerais em uma gráfica de embalagens de papel, trabalhei como ajudante de “jateamento” em uma vidraçaria e trabalhei em uma distribuidora de alimentos como ajudante de entrega. Eu possuía conhecimento para conseguir coisas melhores, mas nunca tive um incentivo financeiro para cursar qualquer coisa durante o colégio, e por isso não tinha nenhum certificado, mas estudava os assuntos que me interessavam.

Pedi demissão da distribuidora (assim como de todos os outros), e abri meu primeiro negócio. Uma gráfica rápida com serviços de manutenção de computadores. Depois de um ano de experiência fechei o negócio, por falta de investimentos e dificuldades em socializar. Em 2014 trabalhei como Suporte técnico em uma empresa de softwares, após vinte dias de trabalho, fui convidado a trabalhar em um segundo empreendimento do mesmo contratante, desta vez como auxiliar de marketing digital. Mais alguns meses se passaram e fui promovido a gerente técnico da agência digital. Comecei a acumular várias funções e entre elas o treinamento de todos os funcionários contratados.

Em 2015 abri minha própria agência de Marketing Digital. Durante todo esse período me especializei em diversas áreas, fiz diversos cursos livres e iniciei minha faculdade de Licenciatura em Letras. Criei um projeto chamado Nuvem Educa, que aplicava (em 15 cursos livres presenciais) uma metodologia de ensino capaz deixar pessoas mais interessadas aos estudos e autodidatas em diversos assuntos.

Hoje, no final de 2017 o Nuvem Educa evoluiu para uma escola online a Hoo Educa, e ainda trabalho como Diretor Geral e Desenvolvedor de interfaces da Nuvem Agência ao qual fundei, trabalho como professor de cursos livres de informática, produção textual, comunicação e expressão e outros, tanto presencialmente quando online. Durante todo esse tempo, escrevi. Trabalhei como redator em alguns blogs da minha própria agência, e escrevo livros. Com isso fechamos a questão profissional. Voltemos para o lado familiar... hoje vivo com minha filha de cinco anos e a esposa (a menina do ensino médio). Poucos amigos para complementar minha voz social e os leitores deste blog.

O blog surgiu como fuga para a minha imaginação. A aplicação em palavras do mundo em que vivo internamente.